Bosch – Vivatmo me

0.00

 

Vivatmo me para pacientes

O primeiro aparelho de medição FeNO do mundo para uso doméstico.

Muitas pessoas subestimam o quão severamente os asmáticos são restritos em atividades cotidianas, por exemplo, devido ao medo de ataques de asma ou dificuldade em respirar. O Vivatmo me permite que o grau de inflamação das vias aéreas seja facilmente medido em casa. A medição regular com o Vivatmo me fornece aos pacientes informações valiosas sobre o curso da inflamação das vias aéreas e, assim, uma melhor visão geral da asma. Isso permite que os pacientes com asma entendam melhor o estado da sua saúde e, desta forma, tenham mais confiança na vida cotidiana. Com os valores registados, o médico também pode realizar uma avaliação conclusiva da doença e adaptar individualmente a terapia ao paciente. O envolvimento dos pacientes e a monitorização regular da terapia com o teste FeNO oferecem mais opções para uma terapia adaptada individualmente. A adesão ao tratamento é, portanto, significativamente apoiada.1

O Vivatmo me proporciona ainda mais segurança e uma maior qualidade de vida nas atividades cotidianas.

A app Vivatmo incluída funciona como um complemento ideal para o Vivatmo me.

Os benefícios do Vivatmo me

Juntamente com os resultado da medição, os pacientes recebem informações sobre o grau atual de inflamação das vias aéreas e uma indicação de tendência se houver um desvio considerável da leitura anterior.

  • O dispositivo prático e fácil de usar integra-se perfeitamente ao cotidiano dos pacientes
  • A medição regular leva a uma melhor monitorização da progressão da doença, o que pode ajudar a otimizar a terapia individual e melhorar a adesão1,3.
  • Escala de “semáforo” simples, ajuda a interpretar o valor da inflamação
  • Maior independência devido à operação com baterias domésticas padrão
O objetivo de uma boa terapia da asma é que o paciente, apesar da doença e com medicação na menor dose possível, seja capaz de fazer tudo o que um indivíduo não asmático pode fazer. Noutras palavras: viver uma vida normal.

PROF. DR. MED. HERTH

UNIVERSIDADE DE HEIDELBERG, ALEMANHA2 

Escala de semáforo para interpretação dos resultados de medição

VERDE: Valores baixos de FeNO mostram que a inflamação eosinofílica das vias aéreas é improvável. Se os sintomas asmáticos permanecerem, é improvável que um aumento nos Corticosteroides Inalados (CTI, por exemplo, budesonida) leve a uma melhoria.

AMARELO: Se os valores de FeNO medidos estiverem na faixa amarela, uma leve inflamação eosinofílica das vias aéreas é detetável e deve ser observada. Deve ser exercido cuidado no caso de pólen no ar, por exemplo. Se os sintomas persistirem, é possível que a dose de CTI não seja suficiente.

VERMELHO: Uma inflamação eosinofílica das vias aéreas está presente. Um aumento na dose de CTI pode ser considerado. A falta de melhoria também pode ser devido à insuficiente adesão ao tratamento ou inalação incorreta.

Adaptado a todos os pacientes – Um médico pode definir individualmente os valores de limiar para a exibição do semáforo no Vivatmo me para cada paciente.

APP Vivatmo  

A aplicação Vivatmo é um complemento ideal para o Vivatmo me, permitindo que os pacientes acompanhem ainda mais a asma.

Os valores de medição registados são simplesmente transferidos para a app via Bluetooth. Desta forma, os valores são sempre acessíveis, por exemplo, ao discutir o curso da doença com um médico. Além disso, os pacientes podem fazer o registo de como se sentem hoje e quantos medicamentos foram tomados. Os pacientes podem, portanto, ver o que influenciou o curso da doença, mesmo dias ou semanas depois. A app não serve apenas para documentação, mas também para prevenção. Ela fornece informações, por exemplo, sobre previsões de pólen no ar para uma segurança ainda maior nas atividades diárias. Os dados do pólen vêm do parceiro de cooperação da Bosch, o serviço de monitorização de pólen da Universidade Médica de Viena.

A Bosch possui altos padrões de segurança de dados e proteção de dados:

  • A proteção de dados pessoais é a sua maior prioridade
  • A pseudonimização e a ausência de registo do utilizador garantem que as informações do diário não possam ser vinculadas aos utilizadores do Vivatmo
A app Vivatmo também fornece informações sobre as previsões de pólen no ar na sua região, entre outras coisas.

Price et al. Clin Transl Allergy 2013;3:37

2 Prof. Dr. med. Felix Herth, Chairman and Head Dep. of Pneumology and Critical Care Medicine, Thoraxklinik University of Heidelberg, Germany, Statement 2016

Stoneham. Nursing Times 2013;109:22-5

FeNO – Um marcador inflamatório na respiração exalada

O óxido nítrico (NO) é reconhecido como um mediador biológico, que também é produzido nos brônquios do pulmão humano e está presente na respiração exalada. Tem sido implicado na fisiopatologia das doenças pulmonares, incluindo asma.

A inflamação eosinofílica das vias aéreas com asma alérgica resulta de uma ativação de mastócitos induzida por alérgenos e células auxiliares T2 específicas para o antígeno (Th2) com subsequente produção de citocinas. Este processo é sensível aos glucocorticoides e leva à ativação da sintase do induzível NO (iNOS) nas células epiteliais dos brônquios e, assim, a uma produção aumentada de NO e a uma maior proporção de NO no ar exalado.

FeNO é, portanto, um biomarcador diretamente mensurável no ar exalado para a inflamação das vias aéreas induzida por Th2 na asma alérgica.

Para adquirir uma amostra de NO produzida nos tubos brônquicos, o ar exalado deve ser fracionado. A medição do NO fracionado (FeNO) foi padronizada para medição clínica.1,2 O teste rápido e não invasivo de FeNO é, portanto, uma forma confiável de monitorizar a inflamação alérgica das vias aéreas nos pacientes.

Procedimento padrão para a medição do óxido nítrico produzido nos brônquios1
  • Expiração contra resistência (fecho veloso entre 5 e 20 cm H₂O)
  • Taxa de exalação constante e controlada (50ml / seg.)
  • Medição após contornar o volume respiratório do trato respiratório superior (fracionamento)

1 ATS/ERS Am J Respir Crit Care Med 2005;171:912-30

2 Horváth et al. Eur Respir J 2017;49:1600965

USO DO TESTE FeNO

Asma

A inflamação das vias aéreas pode afetar qualquer pessoa em qualquer idade. Sofrimento respiratório, tosse noturna, falta de ar, dificuldade em respirar com exposição ao pólen e sensação de aperto no peito caracterizam a maioria dos pacientes até que uma terapia satisfatória seja encontrada. A asma é uma das condições crónicas mais comuns no mundo. O controlo da asma na prática clínica é deficiente, embora haja terapias disponíveis.1 O controlo insuficiente da asma está associado a um risco aumentado de exacerbação, pior qualidade de vida, maior utilização dos serviços de saúde e produtividade reduzida.2

Exemplos de aplicação do teste FeNO

Apoio diagnóstico diferencial

Diagnóstico rápido de asma alérgica

Gestão da terapia da asma

Medicação e inflamação adequadas sob controlo

Monitorização da asma

Valores medidos sempre ao alcance

Numerosos estudos verificam a importância da medição do FeNO na confirmação diagnóstica e no prognóstico de resposta ao tratamento com Corticosteroides Inalados (CTI) em pacientes com asma.3-4 A medição regular do FeNO simplifica a monitorização da inflamação das vias aéreas e melhora a adesão do paciente ao tratamento com CTI.

O tratamento com terapia baseada no FeNO pode, portanto, ajudar os pacientes a manter um melhor controlo da asma e ajudar a evitar a exacerbação.5,6 Isso permite que os pacientes aproveitem a sua próxima caminhada ao máximo. Valores aumentados de FeNO predizem um agravamento do curso da doença mesmo antes de um teste de função pulmonar conspícuo e, portanto, permitem contramedidas terapêuticas precoces.7

Price et al. NPJ Prim Care Respir Med 2014;24:14009

2 Gruffydd-Jones et al. DGP 2017, Stuttgart: Poster P253

3 Dweik et al. Am J Respir Crit Care Med 2011;184:602-15

Taylor et al. Thorax 2006;61:817-27

5 Petsky et al. Cochrane Database of Systematic Reviews 2016;9:CD011440

6 Essat et al. Eur Respir J 2016;47:751-68

7 Bodini A et al. Chest 2017;132:1520-25

Daniela Fontes
Gestor de Clientes (Norte/Madeira)
João Mendes
Area Manager (Cardiorespiratory)